Transformação digital (DX) é um tópico abrangente e muito presente no ambiente de negócios quando a pauta é inovação. E, por isso, pode ser complicado reduzir o conceito em uma definição muito rígida.

Em todo caso, se for necessário explicar o significado de transformação digital, ele poderia ser brevemente sintetizado como o processo de usar ferramentas e tecnologias digitais para criar novos — ou modificar os já existentes  — processos e modelos de uma empresa, com o objetivo de aumentar o alcance e garantir resultados melhores.

Hoje, essa é uma das pautas prioritárias de grandes empresas, afinal a transformação digital já é uma realidade que não pode ser ignorada por quem deseja se manter à frente da concorrência.  Como destaca essa pesquisa realizada por Gartner, as organizações já perceberam que a digitalização não é uma opção, mas a maneira de sobreviver e prosperar nos próximos anos. 

Mas falar de transformação digital e realmente transformar um negócio são duas coisas muito diferentes. Por exemplo, a transformação de processos de negócio em verdadeiras “linhas de montagem digitais” ainda parece ilusória e distante, até mesmo no contexto de grandes empresas.

É nesse ponto que começa o protagonismo da automação, que simplifica e acelera a integração e compreensão de contextos complexos. Por isso, a longo prazo, pode-se argumentar que automatizar é a única maneira de gerenciar com eficiência um ambiente de negócios que se prepara para atender as demandas de um futuro moldado por dados.

No entanto, não é uma proposta de tudo ou nada. Neste artigo, abordaremos algumas maneiras pelas quais a automação pode ajudar a contribuir para uma estratégia de transformação digital realmente impactante.

A diferença entre digitalizar e transformar processos

A mesma pesquisa da Gartner já citada aponta também que o  grande desafio para essa transformação é alinhar o mundo físico e digital de forma fluída para colaboradores, parceiros e clientes. E que as lideranças ainda parecem confusas em relação à diferença entre digitalizar e transformar processos e negócios.  

A maioria das organizações se depara com uma proliferação de novos conceitos tecnológicos — como Machine Learning, Inteligência Artificial, RPA (Robotic Process Automation) — mas não sabe exatamente o que pode ser feito de concreto com essas tecnologias. 

Um relatório da Forrester, empresa norte-americana de pesquisa de mercado, também observa que  o grande obstáculo para adoção total da transformação digital tem relação com a sua abordagem prática, que faz com que o assunto seja encarado de forma radicalmente diferente dependendo da empresa e do setor.  Lembrando que o processo de DX integra todos os aspectos da empresa e exige mudanças de tecnologia, cultura, operações e entrega de valor.

Ao mesmo tempo,  um outro estudo realizado pela consultoria McKinsey estima que até 45% das atividades de trabalho poderiam ser automatizadas usando a tecnologia que já existe, potencial para as empresas se tornarem mais eficientes e produtivas é claro. 

Em nosso contexto, a maturidade das empresas brasileiras em relação à transformação digital conseguiu avançar no último ano, mas ainda há um longo caminho a percorrer, principalmente em relação à automação de processos.

Grande parte das empresas continua a confiar em processos manuais e propensos a erros na hora de fornecer soluções simples para atender seus clientes. Sendo que em um ambiente ideal para a transformação digital, as necessidades do usuário devem ser atendidas de forma digital e automática.

O que falta é um pouco mais de clareza a respeito de como e por onde começar a transformação digital, e parece que a automação pode ser um bom ponto de partida.

Componentes da transformação digital 

Resumir a transformação digital a seus componentes essenciais pode trazer mais clareza a essa iniciativa. Essencialmente, os pilares que regem a transformação digital são: 

  1. Repensar processos de negócio ineficientes e buscar a digitalização e a integração de sistemas legados. 
  2. Garantir a colaboração entre equipes interdisciplinares e dispersas geograficamente para inspirar a inovação.
  3. Promover a experiência de tecnologias digitais emergentes e que possibilitem o uso inteligente de dados e análises em tempo real. 
  4. Tornar a operação mais ágil para aumentar a satisfação e o envolvimento dos clientes. 
  5. Projetar e digitalizar jornadas de clientes.

Manter a combinação desses componentes em uma estratégia de transformação digital, pode produzir mais clareza dos desafios e objetivos da transformação digital  e resultar em inovações muito significativas nos negócios. 

Transformação digital com RPA: fluxos de trabalho mais eficientes

O fato é que as ferramentas de automação de processos robóticos (RPA) podem aumentar a visibilidade das operações, gerar mais clareza dos processos e os fluxos de trabalho envolvidos, inclusive destacando ineficiências e possibilitando a correção delas,  e com isso acelerar o processo de transformação digital. 

Que muitas vezes significa, por exemplo, ganhar escalabilidade e diminuir o tempo gasto em tarefas operacionais, aumentar a produtividade e diminuir significativamente a taxa de erros, digitalizar processos analógicos e abolir o uso de papel. 

Mas, apesar do grande potencial tecnológico do RPA, ainda há confusão em relação às aplicações da tecnologia e de como seu uso é capaz de  produzir valor real e mensurável, ao mesmo agiliza a condução da transformação digital nas organizações.

Pensando nisso, existem algumas lições importantes a serem aprendidas por organizações que desejam iniciar sua jornada de transformação digital e buscam acelerar o processo com tecnologia RPA:

Não há uma fórmula mágica

Uma única ferramenta não resolverá a infinidade de desafios organizacionais e atenderá a todos os requisitos de automação de processos. Essas ferramentas —  geralmente mais de uma — quando integradas são capazes de redefinir fundamentalmente como o trabalho é realizado, criando uma força de trabalho mais digital, ágil, produtiva e estratégica.

Combinação de tecnologias

Para acelerar  a transformação digital com automação e obter mais do que ganhos de produtividade, é preciso aproveitar a convergência do RPA combinado a outras tecnologias, como Machine Learning, Business Inteligence, Inteligência de Dados, Processamento de Linguagem Natural (PLN) entre outras tecnologias que variam de acordo com o tipo de negócio. 

Automação como alavanca do processo

A automação torna-se uma alavanca  do processo de transformação digital de ponta a ponta: Centraliza – Padroniza – Otimiza – Automatiza. Com a possibilidade de reconfigurar e aprimorar de forma estrutural, não apenas superficial,  processos e operações inteiras de uma empresa. 

Automação alinhada a uma estratégia digital

Uma transformação estrutural dos  processos, de ponta a ponta, deve ser capaz de otimizar como o trabalho é realizado e está alinhada a uma estratégia digital maior.

Por isso, ao iniciar automação, uma organização deve definir as expectativas em relação ao que as ferramentas podem fazer e como sua organização pode usá-las para criar uma estratégia que produza uma transformação digital bem-sucedida e  com resultados concretos. 

Automação de Big Data

O mundo está inundado de dados, mas esses dados são úteis apenas se compreendidos e aplicados. Como dissemos no início do texto, a automação simplifica e acelera a integração e compreensão de ambientes de big data, garantindo análises de negócios mais oportunas, precisas e completas.

Com isso, as empresas se beneficiam de ciclos mais rápidos de integração de dados, distribuição imediata de relatórios, implementação mais rápida de novos processos e conformidade entre dados e fluxos de trabalho.

As organizações de sucesso obtiveram benefícios comerciais significativos com a automação inteligente, incluindo geração de receita, velocidade de execução, precisão, conformidade e economia de custos.

Reforçando o que dissemos ao longo deste artigo, independentemente do nicho de atuação do negócio, ao considerar uma estratégia de transformação digital, é  impressionante como a implementação de tecnologias de automação podem acelerar o processo de forma sustentável e gerar resultados impactantes em um curto prazo. 

Em uma época de revolução digital, como a nossa, não há espaço para complacência. E a automação não só permite que você acelere a transformação digital, mas também que produza impacto real e mensurável com ela.

Gostou do texto? Assine nossa newsletter e continue atualizado com mais conteúdos relacionados à inovação!

Sua empresa deseja iniciar um processo consistente de transformação digital, baseado em automação? Saiba que você pode contar com a tecnologia de RPA da Rabbot para tornar ágil, digital e eficiente seus processos e o relacionamento com clientes e fornecedores.

Share This